Tendências Tendências

SDN uma verdadeira transformação

As redes definidas por software são muito mais do que uma tecnologia. São uma mudança total da IT e dos negócios

Carla Coelho, especial para LogicalisNow

FacebookTwitterLinkedIn

Em um mercado em constante mudança, empresas no mundo inteiro estão em busca de inovação tecnológica para se manterem competitivas. Não importa o tamanho ou o segmento, elas precisam adotar tecnologias capazes de garantir a transformação digital em seus negócios. Muito além do que uma evolução tecnológica, as redes definidas por software (SDN, na sigla em inglês) são uma transformação necessária para comportar as novas necessidades de TIC. Com essa tecnologia, as empresas, incluindo as operadoras, podem ter uma rede mais eficiente, capaz de assegurar benefícios expressivos para o seu negócio e de suportar a transformação digital.

Boa parte do mercado brasileiro já está de olho nas SDNs, seja estudando, avaliando, experimentando e até mesmo já em fase de adoção da rede mais adequada para a sua empresa. Segundo a gerente de tecnologia da Logicalis, Larisse Gois, a adoção das redes definidas por software é uma tendência, e este deve ser o ano da virada para o Brasil. “A SDN é um viabilizador de transformação digital, pois permite aos CIOs a adoção de novas tecnologias e possibilita novos negócios às companhias. Ademais, permite ao cliente fazer o uso mais inteligente dos recursos que ele já tem disponível”, informa.

  • MAIS FLEXIBILIDADE E DINAMISMO
  • MAIS CONECTIVIDADE E ABRANGÊNCIA
  • MAIS VISIBILIDADE E EFICIÊNCIA
  • SEGURANÇA
  • Controle e qualidade
  • Menos erros e melhor desempenho
  • Inteligência
  • Redução de custos e ganho de eficiência
  • Sua própria WAN

É o caso da Locaweb, fornecedora de serviços de internet, que investe constantemente no refresh tecnológico de sua rede, substituindo seus equipamentos por outros mais modernos e com maior capacidade para atender às demandas de seus clientes. “Um dos investimentos atuais da Locaweb em relação à inovação em sua rede é a adoção de SDN para atuar em conjunto com a sua cloud computing”, conta o engenheiro de redes, Tiago Hirao.

“A cada dia que passa, precisamos de mais agilidade na entrega dos serviços”

Tiago Hirao, engenheiro de redes da Locaweb

Para Hirao, entre os benefícios da SDN estão a melhoria e a atuação mais próxima da virtualização dos data centers e computação em nuvem, assim como a permissão de forma mais simples para a automação da rede e uma gestão centralizada. “A cada dia que passa, precisamos de mais agilidade na entrega dos serviços, maior flexibilidade e controle dos recursos utilizados. A SDN chega para auxiliar nessa automação da rede, permitindo uma maior interação com as aplicações e os recursos que a utilizam. Porém, há um desafio a ser superado: os profissionais precisarão entender como atuar nesse novo tipo de rede. Há muitos benefícios em definir as redes por software, mas o desafio é mudar a forma como estamos acostumados a operar as redes tradicionais, em que estamos focados no hardware, na parte física da rede, e nas funcionalidades hoje desenvolvidas pelos fabricantes desses hardwares”, afirma o engenheiro.

Juntas, SDNs e virtualização das funções de rede (NFV) estão transformando o jeito como os provedores de serviços de comunicação, incluindo as operadoras, desenham e gerenciam suas redes. E esse cenário traz novas oportunidades de entrega de serviços gerenciados flexíveis que atendam às necessidades atuais e futuras de seus clientes. A Embratel, que representa a unidade de negócio voltada para o mercado empresarial da Claro Brasil, realiza investimentos em diversas frentes, como a modernização da rede móvel com tecnologia 4,5G e do backbone de transmissão nacional com tecnologia fotônica, e a implantação de uma infraestrutura de virtualização. Para o diretor de negócios de IoT da Embratel, Ney Acyr Rodrigues, SDN é apenas um dos pilares que precisa ser combinado com outras soluções, como NFV, cloud e orquestração, para que a transformação digital completa seja possível.

“A tecnologia permite um grau elevado de automação, possibilitando serviços que alocam dinamicamente rotas e capacidades de banda, de acordo com as necessidades dos clientes. Entre os maiores benefícios da implementação de SDN está a redução do tempo de entrega de um serviço ao cliente. Esse tempo pode ser relativo a uma alteração em um circuito existente ou à sua criação, bem como à recuperação mais rápida de falhas, melhorando o acordo de nível de serviço (SLA). O que temos, então, é uma superior experiência do cliente e a redução de custos de operação”, diz o executivo da Embratel. Para Rodrigues, o nível de maturidade do mercado em relação às redes definidas por software varia bastante, dependendo dos casos de uso. “Ou a SD-WAN recebeu muita atenção da indústria nos últimos anos e já está bem madura, enquanto a SDN ainda precisa evoluir mais um pouco”. Entretanto, as expectativas da Embratel sobre o crescimento na adoção das SDNs são as melhores possíveis. Para ele, é um caminho sem volta: “SDN e SD-WAN têm papel importante na transformação digital para a formação de redes, agregando novos serviços num contexto cada vez mais voltado para cloud”.

SD-WAN: SDN corporativo

Abordagem específica do SDN aplicada à conectividade WAN, o SD-WAN tem apelo principalmente para empresas com diversas filiais espalhadas geograficamente (como bancos e redes de varejo, por exemplo). Entre seus benefícios, estão a redução dos custos, maior flexibilidade e melhor gerenciamento dos links.

Larisse, da Logicalis, cita como exemplo um cliente que enfrentava dificuldades com a conectividade em filiais localizadas no Centro-Oeste do País, onde dependia de provedores locais pequenos com conexões via satélite, e que se deparou com a ameaça de ter seu projeto de ERP inviabilizado por falta de qualidade de banda. “Foi a partir da adoção de SD-WAN que o cliente conseguiu utilizar o melhor da rede, lançando a conexão do SAP para o melhor link disponível em cada momento”, explica a executiva. A Logicalis atua desde 2013 com a tecnologia em diferentes mercados, e tem como diferencial, além da capacitação técnica, a oferta de SD-WAN gerenciada, em que a provedora pode fazer a gestão da rede para o cliente.

As expectativas de crescimento da demanda por SD-WAN são bastante otimistas. “A IDC Brasil acredita que esse mercado vai mais que dobrar em 2018 no País”, revela o gerente de pesquisa e consultoria de TIC da IDC Brasil, André Loureiro. O estudo SD-WAN Is Causing Disruption in the Enterprise WAN Edge, publicado pelo Gartner, em junho de 2017, apresenta uma amostra de pesquisa com 65 clientes deles, a qual indica que 36% dos entrevistados estão planejando implantar SD-WAN antes do final de 2018; e 66% estão planejando o aumento do uso de um serviço WAN gerenciado até o final de 2018. O Gartner prevê que os investimentos, no mundo, com produtos SD-WAN crescerão de US$ 129 milhões, em 2016, para US$ 1,24 bilhão, em 2020.Na visão da IDC Brasil, apesar de já estarem se preparando, as ofertas das operadoras em relação a redes definidas por software, em especial para SD-WAN, ainda são bastante incipientes. “As operadoras já iniciaram seus projetos de redes definidas por software. Todas já têm projetos internos, com solicitações de proposta no mercado e algumas execuções de uso de SDN. Com relação à SD-WAN, as operadoras têm intensificado as discussões. Elas já estão muito próximas dos grandes fornecedores, das grandes integradoras, e a nossa expectativa é que entreguem produtos efetivos de ofertas mais consolidadas para atacar esse mercado”, confirma Loureiro.

De acordo com o analista, as operadoras estão entendendo que SD-WAN é uma realidade, e que realmente traz benefícios. Além disso, estão percebendo que se não embarcarem nesse jogo vão ficar de fora de um mercado relevante. “As parcerias estratégicas das operadoras são muito importantes para que elas consigam fazer essa execução para o mercado final. Elas já estão trabalhando em projetos especiais, analisando cada solicitação de forma específica, e endereçam essa demanda. Também já estão atendendo esse mercado de SD-WAN, mas ainda de maneira muito customizada. A nossa expectativa é que isso se transforme em ofertas e produtos específicos ao longo de 2018, finaliza.